sábado, 25 de março de 2017

ORCRIM tinha até regras para transporte de propinas

A única coisa realmente gerida profissionalmente no Brasil é a corrupção. Leia o trecho da reportagem do Globo, em que Hilberto Mascarenhas detalha, em depoimento no TSE, as regras para transporte de propina:

“Se eu tenho um pagamento de R$ 2 milhões, isso é uma mala. Ninguém pode estar transitando na rua com uma mala com R$ 2 milhões. Então, existiam também regras como, por exemplo, o valor máximo a ser pago era de R$
500 mil, que cabia dentro de uma mochila”, declarou o ex-dirigente da Odebrecht. “Se você tinha R$ 2 milhões a receber, você ia receber quatro vezes 500 (mil). E aí tinha que ser combinado alguma coisa. Mas nem sempre, ministro, com o interessado final. Às vezes, tinha muito preposto”, explicou.
O antagonista

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários serão avaliados antes de serem liberados