terça-feira, 18 de abril de 2017

Guamaré-RN: Uma cidade com passado e presente,mas sem perspectiva futura.


Naquele tempo em que os empregos no polo petroquímico eram abundantes, os comentários nas rodinhas dos amigos que não eram da terrinha, era de que assim que cessassem os empregos no polo, a cidade parava.Essa observação era feita devido ao modo com pelo qual os gestores públicos administravam essa cidade;Era público e notório que as festas promovidas pela prefeitura e pagas com o dinheiro público eram as únicas coisas que sabiam fazer. O intuito era sempre criar uma falsa sensação de que tudo ia as mil
maravilhas, contudo, o dinheiro que circulava na cidade era devido aos trabalhadores do polo morarem no município,mas a fatia maior dos salários destes eram gastos nas suas cidades de origem., durante as folgas de cada um deles. Sequer a prefeitura sabia cooptar essa fonte de renda ,onde deveria ter criado atrativos na cidade para que estes trabalhadores não viajassem. As festas tem em todo lugar, e esse foi o erro maior da gestão pública municipal, afora os contratos das bandas muitas vezes serem superfaturados.
    Hoje, a cidade de Guamaré era para estar em outro patamar de desenvolvimento econômico e social, caso os políticos que administraram-na naquela época tivessem sido capazes de transformar os enormes recursos públicos que entraram nos cofres da prefeitura  em novas fontes de renda. Os tempos foram se passando, e a realidade nua e crua está aí; Os antigos problemas que cada vez mais vão se acumulando, e a crise econômica vai deixando a cidade sem perspectiva de dias melhores, tudo isso fruto das más gestões e de políticos incompetentes, haja vista que, a palavra projeto parece causar arrepios. Como uma cidade poderá desenvolver-se se não há projetos sustentáveis a serem executados, e o máximo que a câmara municipal consegue aprovar são requerimentos.
     Cada cidadão é responsável pelo bem estar e pelo desenvolvimento de uma sociedade, e, ficar tão somente criticando os seus representantes públicos pelas mazelas que afligem o seu município é fugir da responsabilidade pelo estado de coisas que acontecem ao seu redor, afinal, os políticos não caem de para quedas em seus cargos, porque foram eleitos. Uma grande parcela da sociedade sabe ir as festas promovidas pela prefeitura, mas  muitos cidadãos não saem de suas casas onde é sua zona de conforto, quando deveriam, porque manifestar-se diante dos descasos promovidos pelos seus representantes públicos é um ato de cidadania,desde que sejam pacíficos e respeitando o direito dos outros;Porém, quando se calam e incorporam ao seu dia á dia, á falta de quorum, a falta de ética pública,entre outros agravantes praticados por seus representantes públicos ,certamente estão colaborando para a estagnação do meio em que vive.
       Um dos exemplos deste comodismo por parte da sociedade está no Plano de cargos e salários dos servidores de Guamaré. Se estes servidores lutassem mesmo pelos seus direitos indo as ruas e pressionando o prefeito e a câmara, certamente tudo já teria se resolvido.
        Qual será o legado que esta sociedade estará deixando para sua geração futura. O que dirá os pais aos seus filhos quando estes perguntarem o porquê eles não tem uma educação de qualidade, e também, quais os motivos que não há geração de empregos e renda no município. Será que muitos pais terão a coragem de dizerem aos seus filhos que venderam seus votos quer por míseros reais ou por empregos na prefeitura, votando em candidatos sem a mínima condição de ser um vereador ou prefeito,pois sequer tem bons projetos relevantes para seu município. É este comodismo que penaliza a sua geração futura que merece dias melhores.
      Há décadas atrás, quantos nordestinos migravam de sua terra para o Sul do Brasil,em busca de empregos para que pudessem criar as suas famílias,isto sem falar que os tempos eram outros. Iam muitos sonhadores,voltavam muitos desiludidos,porém muitos venciam as dificuldades. Entretanto,fazendo uma ilação com a cidade de Guamaré, muitos cidadãos apenas enxergam o polo e a prefeitura como os únicos meios de sobrevivência,e este é um dos fatores que fazem com que esta cidade não prospere,afinal,não tem como empregar todos na prefeitura, isto sem falar que a maioria dos servidores não são bem remunerados, e, os melhores salários são pagos a quem tem cargo comissionados, na maioria das vezes.
      Enquanto perdurar esse modelo de gestão deletéria praticado pelo prefeito Hélio ,que é alimentado  em parte pela plutocracia e endossada por aqueles que alimentam-se tão somente das benesses do poder, esta cidade continuará parada no tempo,e daqui a 10 anos estaremos discutindo os mesmos problemas de sempre ,enquanto outras cidades desenvolvidas estarão discutindo novas fontes de energias renováveis e sobre a inteligência artificial.
     Qual será o futuro desta cidade se não há comprometimento por parte de seus representantes públicos eleitos, para com o desenvolvimento sustentável desta cidade? É preciso que bons projetos sejam executados, e nestes últimos dez anos, apenas a execução da ETE do Conjunto Vila Maria está sendo executado, valendo salientar que, mais de 1 bilhão de reais de recursos públicos entraram nos cofres da prefeitura, contudo, faltou um bom prefeito ,e também uma maior cobrança por parte dos cidadãos deste município perante aos seus candidatos eleitos para que os recursos fossem melhor direcionados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários serão avaliados antes de serem liberados