sábado, 27 de maio de 2017

Em busca de apoio político, Temer passa o dia em reuniões com aliados

Presidente recebeu no Palácio do Jaburu o ex-presidente José Sarney, diversos ministros e deputado; além de apoio, Temer tenta garantir que projetos avancem no Congresso.


Em meio à maior crise desde que assumiu o governo, o presidente Michel Temer passou este sábado (27) em reuniões com aliados em busca de apoio político para permanecer no cargo e dar andamento às reformas que tramitam
no Congresso.
Entre os políticos que se encontraram com Temer no Palácio do Jaburu está o ex-presidente José Sarney, do PMDB, mesmo partido do presidente. Nenhum dos encontros estava previsto na agenda oficial do presidente divulgada pelo Palácio do Planalto.
O primeiro político a se reunir com o presidente neste sábado foi o deputado Júlio Cesar (PSD-PI), coordenador da bancada do Nordeste. No encontro, os dois trataram do projeto que valida incentivos fiscais dados pelo estados para atrair empresas.
Logo depois, em um almoço, Temer recebeu os ministros Sérgio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional), Aloysio Nunes (Relações Exteriores), Antônio Imbassahy (Secretaria de Governo) e Bruno Araújo (Cidades). O último chegou a anunciar que entregaria o cargo após as delações da JBS, mas não chegou a oficializar a decisão.
No fim da tarde, o presidente da República recebeu políticos peemedebistas. Além de Sarney, também foi ao Jaburo o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco.
Temer tem dito a interlocutores e publicamente que não renunciará e que permanecerá no cargo até 31 de dezembro de 2018, último dia do mandato.
BNDES
Para evitar a impressão de esvaziamento do governo diante da crise política, o presidente substituiu com rapidez a ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) Maria Silvia Bastos, que pediu demissão nesta sexta (26).
No mesmo dia, nomeou para o cargo o economista Paulo Rabello Castro, que era presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Congresso

Além de buscar apoio político para se sustentar no cargo, Temer tem negociado a votação de matérias importantes no Congresso Nacional.
No Senado, o presidente aposta no avanço do projeto que estabece uma reforma trabalhista. A previsão é de que o texto seja votado na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) já nesta semana.
O desafio é garantir que a base aliada consiga vencer a obstrução já anunciada de partidos da oposição.
Na Câmara, Temer busca vencer a batalha com a oposição, que anunciou obstrução aos trabalhos até que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), dê andamento a um dos 13 pedidos de impeachment apresentados contra o presidente por causa da delação da JBS.

G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários serão avaliados antes de serem liberados