quinta-feira, 18 de maio de 2017

Temer derruba 17 reuniões e avalia pronunciamento; presidente teria dito estar vivendo um dos piores momentos da vida

Michel Temer na manhã desta quinta-feira, saindo do Palácio Jaburu – UESLEI MARCELINO / REUTERS
O presidente Michel Temer derrubou 17 reuniões nesta quinta-feira e avalia fazer pronunciamento em rede nacional de rádio e TV. Nesta quinta-feira, um dia depois que O GLOBO revelou que Temer deu aval para comprar o silêncio de Eduardo Cunha, Temer disse ser vítima de “conspiração” e negou que vá renunciar.

O peemedebista também prometeu um pronunciamento nacional para rádios e televisões, o que é discutido em reunião com os ministros palacianos Moreira Franco (Secretaria Geral), Eliseu Padilha (Casa Civil), Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo), além do porta-voz e auxiliares. Temer teria audiências, desde as 8h, de meia em meia hora: 19 encontros com parlamentares. Em vez disso, só fez a das 8h, com Petecão, e às 10h entrou em “despachos internos” com os auxiliares. Os avisos de cancelamento de reuniões começaram a ser disparados a senadores e deputados a partir das 9h.
— O presidente disse várias vezes que isso é uma conspiração. Ele estava muito firme e lamentou muito toda a situação. Disse que está firme e que não vai renunciar, não vai cair — declarou o senador Sérgio Petecão (PSD-AC) ao GLOBO. Também estavam na audiência, marcada há cerca de um mês, o deputado Flaviano Melo (PMDB-AC) e o senador Gladson Cameli (PP-AC). Petecão disse também que Temer estava com expressão “tranquila” e que lamentou: afirmou que as reformas estavam indo “tão bem”.
O Palácio do Planalto está preparado para um pronunciamento de Temer: o salão leste está com luzes e sistema de som ligados e câmeras da TV estatal NBR a postos. Dois púlpitos estão prontos: o do presidente e o do porta-voz, o embaixador Alexandre Parola.
De acordo com Petecão, Temer não comentou sobre o senador Aécio Neves. A coluna Lauro Jardim, do GLOBO, também mostrou que o tucano foi gravado pedindo dinheiro para o empresário Joesley Batista, dono da JBS, em delação. O Supremo Tribunal Federal (STF) determinou o afastamento de Aécio e vai julgar, em plenário, se ele será preso. A irmã do senador foi presa na manhã desta quinta-feira.
Com vistas a dar ares de normalidade após as notícias desta quarta-feira, Temer havia marcado audiências com 20 parlamentares. Entre eles, o pastor Silas Malafaia e até o deputado estadual do Rio, Geraldo Pudim.
Conspiração e pior momento da vida
As reuniões no Palácio do Jaburu se arrastaram até a madrugada desta quinta-feira para discutir os estragos da delação dos donos da JBS na economia e na política. Segundo relatos, o Planalto cogitava pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) ainda ontem à noite acesso às gravações. No encontro com os ministros integram o núcleo duro do governo, Temer disse que estava vivendo o pior momento da vida dele. Teria se queixado também de “armação e conspiração”, disse um interlocutor.
O Globo

blogdobg.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários serão avaliados antes de serem liberados