quinta-feira, 15 de junho de 2017

A CASA É DO POVO MAS REQUER DECÊNCIA, RESPEITO E CONDUTA


Observando atentamente ao episódio inusitado ocorrido ontem no plenário da câmara municipal de Guamaré chego a conclusão de que os ânimos dos cidadãos andam muito exaltados gerando muitos conflitos.
Entendo que a Câmara de Vereadores é considerada a mais aberta e democrática casa dos poderes locais, em face de ser composta por pessoas eleitas pelo povo possuindo das mais variadas ideologias, cabendo-lhe a missão de proporcionar ações para que a sociedade a recorra na busca de seus direitos sociais.
Fazendo uma análise acerca dos fatos acontecidos na última sessão da câmara municipal nota-se que existem forças ocultas agindo no intuito de transformar esse fato
em objeto de discussão política quando na realidade a questão é puramente educacional haja vista não estava havendo um embate político entre a vereadora e a cidadã.
Diante do caso o prefeito de Guamaré determinou que os Guardas municipais envolvidos fossem afastados de suas atividades juntamente com o comandante e sub comandante para que sejam apurados e aberto uma sindicância.
Diante de toda essa repercussão a nível estadual, me vem a seguinte indagação!
Se você fosse um vereador e no momento em que você estivesse realizando os trabalhos no plenário e algumas pessoas lhe atrapalhassem proferindo palavras de baixo calão ofendendo a sua imagem pessoal?
O que você faria como autoridade sendo desacatado da forma que foi a vereadora ?
No meu ponto vista vejo que houve um excesso de autoridade movido de truculência por parte dos guardas no momento em que os mesmos não contém a mulher sem que o filho estivesse no seu colo e isso foi o principal causador de toda esta polêmica.
Também devo levar em conta de que a câmara municipal por ser “casa do povo” requer, decência, educação com respeito e conduta aos que visitam e a aqueles que estão executando o trabalho, por ser “a casa do povo” devemos nos comportar como pessoas ordeiras e educadas  pois a manifestação e busca por seus direitos é livre desde que as pessoas se manifestem ordeiramente.
Não faço pré-julgamento do que ocorreu mas deve se lembrar que a câmara municipal é a casa do povo e não a “casa de mãe joana” onde pessoas que se deixam ser levadas como massa de manobra  vão com um único objetivo de tumultuar, fato este que vem acontecendo a algumas semanas ,mas que na última sessão passou dos limites ocorrendo toda essa situação polêmica.
Não é a primeira vez que casos como esses acontecem em Guamaré e como eu não tenho memória curta gostaria de lembrar um fato ocorrido no mandato do ex-prefeito José câmara onde o atual prefeito hélio naquela época era presidente da câmara e alguns exaltados  foram detidos pela polícia militar por causar desordem no plenário e esse caso não gerou tanta repercussão por que não era uma mulher com uma criança de colo. Outro fato inusitado ocorreu não na câmara municipal, mas na secretaria de obras onde um servidor agrediu uma mulher a socos e não houve uma  repercussão deste nível.
Devemos lembrar que o município de Guamaré vive em um embate político desde a campanha de 2016 e que os fatos devem ser apurados e investigados pela justiça.
O que não se pode permitir na “casa do povo” é o processo de bagunça e desordem provocado por pessoas mal-intencionadas usadas como massa de manobra para impedir o andamento dos trabalhos no legislativo.

Encerro enfatizando que por ser a “casa do povo” não nos dá o direito de promover o caos e a desordem em um ambiente público desacatando os parlamentares.
Edilmar Medeiros

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários serão avaliados antes de serem liberados