segunda-feira, 26 de junho de 2017

Guamaré : A queda da arrecadação requer parcimônia da administração pública.

Desde que começou a grave crise econômica brasileira, á arrecadação municipal vem em uma decrescente, e, na economia, a matemática é simples, se a receita diminui, é preciso cortar gastos, para que possam sobrar recursos para investir em projetos; Entretanto, se o prefeito atual não fosse tão obcecado pelo poder, há muito tempo deveria ter cortado na própria carne, e também evitando o inchamento da máquina pública. Como não há sobra de recursos para investir em
projetos sustentáveis, visto que, não age com a devida parcimônia com relação as contas públicas, fica fácil entender o porquê não há execução e tão pouco, á execução de projetos que gerem empregos e renda ao município.
       A máquina pública municipal é altamente inchada, afora a sua administração que é obsoleta e danosa ao futuro do município, e se não for dada as devidas tratativas, a prefeitura poderá quebrar, e esta cidade não merece ser uma nova Rio de Janeiro. O sapiente Edilmar Medeiros disse: grande problema da máquina pública é a manutenção errada. que o povo faz nela, votando nos mesmos, ou seja, colocando praticamente as mesmas peças para faze-la funcionar, e é preciso fazer essa máquina funcionar produzindo mais e consumindo menos.
       Dificilmente a cidade de Guamaré irá desenvolver-se, se continuarem como esse modelo de gestão pública retrógrada e inoperante,que apenas consome os recursos públicos,pois os gestores públicos deste município,parecem ser alérgicos á projetos sustentáveis,simplesmente obliteraram essa palavra de seus vocabulários;Alguns pecam pela falta de visão e outros pela falta de capacidade em exercerem as suas funções.
       Todo essa crise financeira favorece apenas aqueles políticos incompetentes, que alimentam-se do poder baseado apenas no fisiologismo exacerbado e sem fronteiras.Se os políticos desta cidade amasse verdadeiramente á sua terrinha,teriam dado o exemplo e deveriam ter reduzido os seus próprios salários,afinal, se não apresentam e não executam projetos,o custo benefício destes para à população, é alto.
       Outro fator que contribui para que esta cidade não desenvolva-se, é á falta de uma educação de qualidade, pois caso tivesse, a sociedade tornar-se-ia mais esclarecida política e socialmente, entretanto, não é do interesse por parte de certos políticos desta cidade ,que isto aconteça, senão certamente não seriam eleitos. Vale salientar que, existem raros políticos bons no município, mas falta-lhes coragem; Portanto, que apareça uma nova safra de políticos jovens que não estejam contaminados com este modelo de gestão usual nesta cidade, assim sendo, a geração futura agradecerá.

       Insisto em relembrar que, mais de 1.4 bilhões de reais foram simplesmente torrados neste município, nestes últimos 8 anos, e pouco foi feito de extremamente relevante em prol da população, simplesmente pela mal direcionamento dos recursos. Não é preciso enfatizar de que, em Guamaré não se faz concurso público(caso houvesse,, a maioria dos aprovados seriam de fora),e, quando as empresas de fora ganham um contrato no polo petroquímico, geralmente contratam mão de obra de fora na maior parte, e a culpa em parte é dos representantes públicos que não investem na educação. Entretanto, grande parte da sociedade que alimenta este modelo de gestão pública, está impedindo que haja dias melhores para sua geração futura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários serão avaliados antes de serem liberados