sexta-feira, 28 de julho de 2017

Guamaré-RN: Quem discutirá os verdadeiros problemas do município?

A bela cidade de Guamaré. gigante pela própria natureza, carece de um bom gestor público, mas parece que a maioria da sociedade acostumou-se a conviver com os desmandos na gestão pública, incorporando-a ao seu dia á dia. Hoje, a cidade é dividida entre os partidários do prefeito Hélio e a oposição. Uma grande parte da população parece estar indiferente aos problemas do município, como se estes não os afetassem. A ignorância é que atravanca o progresso do país, (Odorico Paraguaçu),e a falta de uma educação de qualidade contribui para esse estado de letargia de
muitos cidadãos.
    É preciso que a sociedade Guamareense promova um bom debate político ,e que façam o uso de sua cidadania para cobrar ações mais efetivas de seus representantes públicos, entretanto, parece que as discussões pessoais voltadas para a vida alheia estar acima de todos os graves problemas que afligem ao município. O povo parece que vive em um verdadeiro estado de animação suspensa, que sequer observa outros cidadãos de cidades vizinhas promovendo e lutando por melhorias na sua cidade, a exemplo dos universitários da cidade de Angicos, que lutam pela melhoria na área de segurança pública; Observo cidadãos de Pedro Avelino e Afonso Bezerra, fazendo o uso constante de suas cidadanias na busca de melhorias para seu município, onde este blog são seus porta vozes. e, a prefeita de Messias Targino  buscando novos projetos para sua cidade, como a Agroecologia. enquanto na cidade de Guamaré, as intrigas e futricas e a vida alheia parece imperar diante de um bom debate político.
   Uma cidade dividida e sem gestores públicos que visem o crescimento sustentável de sua cidade, não irá desenvolver-se, mas sim continuará travada no tempo, porque o que interessa à aqueles que se acham excelentes gestores é manter-se no poder através do modelo rudimentar e tão somente fisiológico de uma gestão que pune a geração futura; Contudo, cada cidade tem os políticos que merecem, infelizmente, a minoria pagará o pato.
    Um bom exemplo de uma sociedade dividida entre dois mundos  pobre e rico, era á antiga Alemanha Oriental, que dividida pelo muro de Berlim, somente. saiu do estado de pobreza, quando o muro caiu e as duas Alemanhas uniram-se em prol do bem comum. O mesmo está acontecendo com a bela cidade de Guamaré, ninguém parece estar preocupado com a falta de condições mínimas  para o abate das carnes consumidas no município, como este não fosse um grave problema; Ninguém parece estar curioso como os 1.5 bilhões de reais que entraram nos cofres do município foram mal aplicados; Ninguém parece estar preocupado em gerar empregos e rendas, simplesmente ficam apelando para que apareçam obras no polo industrial, quando na realidade, deveriam caminhar rumo a um bom projeto de agricultura familiar, e também na áreas da carcinicultura, turismo, educação, beneficiamento de pescados, etc.  Infelizmente, o conformismo e o egoísmo de uma grande parte da sociedade, somada à  catarata administrativa do prefeito e aliada  a inércia da oposição na apresentação de bons projetos, impedem que haja desenvolvimento sustentável nesta cidade; Portanto, todos esses fatores citados somados á uma crise econômica que o país atravessa, fará com que este ano de 2017 já esteja comprometido, e sem boas perspectivas futuras a médio prazo para esta cidade.
   Próximo ano será de eleições e todos já devem esperar as tão sonhadas promessas dos políticos para Guamaré, onde a operação tapa buracos na RN 221 Já é de praxe, e tudo caminha para Dantes no quartel de Abrantes.

   Precisamos que a sociedade engaje-se, no seu papel de cidadão., e que haja mais pragmatismo político por parte de todos, senão as ervas daninhas  na vida pública continuarão tratando o dinheiro público como se fosse capim, e tentando demonstrar ao povo através de m´dias chapas brancas, que suas obrigações como gestor público são obras de primeira grandeza. O que mais  chama-me atenção, é que elegemos nossos representantes públicos, que quando eleitos ,dizem que irão governar para o povo ou então se autodenominam o prefeito do povo, vereadores do povo, entretanto, não desejam que o povo participe de como deverão ser aplicados os recursos públicos, senão, já teriam implantado o orçamento participativo, mas isso é outra conversa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários serão avaliados antes de serem liberados