quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Guamaré-RN : A triste agonia do mandato do prefeito Hélio.

 
Enfim, está acontecendo aquilo que qualquer cidadão menos apaixonado, mas que tivesse o devido cuidado em ler a lei eleitoral já previa, que é  a cassação do mandato do prefeito Hélio. Este rebuceteio foi causado devido a empáfia do prefeito, que aproveitando-se  das brechas nas lei. A sede pelo poder deixou-lhe inebriado. O poder inebria e paralisa a mente, ao apalpa-lo, o homem herda a  miragem das cordas que o faz confundir meras impressões com verdades eternas. (Pablo de Paula Bravin). Esta frase traduz muito bem sua forma de governar, onde os devaneios tomam conta de sua gestão, que são corroboradas em grande parte por  declarações de alguns correligionários que dizem que o prefeito Hélio tem mente brilhante, que tem um coração
maior do que um oceano, e que as casas construídas no canto do Amaro são verdadeiras obras primas. Democraticamente, temos que respeitar as opiniões alheias, mas se traçarmos um paralelo com a mente brilhante de outros gênios, e também com as 7 maravilhas da natureza, será que o excelentíssimo prefeito pode ser rotulado com tamanha magnitude? é lógico que não. Uma coisa é ser um bom amigo, outra coisa é ser um bom gestor público, porém a administração do prefeito Hélio é péssima e tão somente paternalista, pois somente consegue gerar empregos se for via prefeitura. As desculpas são as mesmas, desde a falta de chuvas,a queda das arrecadações, e agora quem paga o pato é a crise econômica.
     É inconcebível um município como Guamaré, que tem uma arrecadação suficiente para resolver alguns problemas deste município,a população ainda  sofra e conviva com os mesmos problemas de outrora,devido a incompetência administrativa do prefeito,que beira ao desastre financeiro,onde o máximo que consegue realizar é o pagamento dos salários dos servidores em dia;Tudo isto, porque no vocabulário do prefeito, parece não existir a palavra sustentabilidade, que deveria ser o carro chefe de seus projetos,mas sequer um projeto sustentável foi executado.
    Toda esta instabilidade política que está acontecendo nesta cidade, pode ser atribuída ao Hélio Willamy, que deveria ter indicado seu sucessor, contudo preferiu arriscar-se numa jornada que dificilmente traria outro resultado, a não ser a perda de seu mandato, pois os tempos são outros, e ninguém está acima da lei, pois pau que dá em Chico, também dá em Francisco, e também dá em Hélio. As sequelas todas desta insistência do prefeito em manter-se no poder, trazem prejuízos enormes para à população, pois projetos não são realizados, afora a ansiedade  e aflições que tomam conta  de muitos cidadãos, principalmente daqueles servidores contratados que não tem estabilidade, pois a qualquer momento poderão perder seus empregos; E, em muitos casos, o prefeito que assumir deverá fazer ajustes, devido ao inchaço na máquina pública e também para atender a demanda de parte de seus correligionários. É essa mentalidade arcaica de parte da sociedade, que vê na eleição municipal como se fosse um concurso público, onde cada qual quer eleger seu candidato para que possam usufruírem das benesses do poder, que impede que esta cidade possa desenvolver-se. A prefeitura em sociedades desenvolvidas como na Europa, é vista como um órgão gestor e não um órgão paternalista, até porque, a estabilidade no emprego público é mínimo e restrito a certos casos, e ainda por cima, não podem fazer greve. É preciso que os empregos sejam gerados a partir de bons projetos quer na área da agricultura familiar, quer na área da construção civil, quer na carcinicultura, para que esta cidade possa desenvolver-se ,e neste caso, os excelentíssimos vereadores precisam aprovar projetos.
     O que levou o prefeito Hélio a insistir a ser candidato? Foi devido a falta confiança em algum outro que poderia ser indicado por ele, ou foi porque achava que a lei eleitoral não seria aplicado nesta cidade, afinal, Hélio é um político experiente!. Cada um deve ter as suas opiniões, mas eu acredito que ele foi mal assessorado, achando que a lei não seria aplicada.
     Como sempre, a população é a que mais sofre com as consequências deste processo que caminha em Banho-Maria para ser definido em curtíssimo prazo  com a derrota acachapante no TSE. O ano de 2017 já se foi, e a cidade estagnou-se no temo. O ano de 2018 está chegando e será mais um ano que possivelmente nada de novo acontecerá, a não ser a nova eleição municipal, pois também será ano de eleições gerais,         e certamente o que aparecerá na cidade, serão aqueles velhos políticos que transformam-se em SANTOS, trazendo em suas bagagens as velhas promessas já conhecidas, e o povo continuando sem água nas torneiras e caminhando entre os buracos nas estradas, e ainda por cima, sem acesso á uma educação de qualidade.

     Se todo político  que diz que ama á Deus e também esta cidade, realmente amasse, pois quem ama cuida, a cidade de Guamaré seria a mais bela e desenvolvida cidade do RN.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários serão avaliados antes de serem liberados