quarta-feira, 22 de junho de 2011

PROJETO APRISCO QUER MELHOR CAPRINOCULTURA DO ESTADO


 O Governo do Estado, através da Secretaria da Agricultura, da Pecuária e da Pesca está se preparando para retomar as atividades do Projeto Aprisco que tem como principal finalidade desenvolver ações no sentido de melhorar a caprino-ovinocultura do Rio Grande do Norte.
De acordo com o secretário da pasta, Betinho Rosado, o objetivo do programa - que investirá este ano 350 mil reais em convênio firmado com a Sudene -, é prestar assessoria técnica para famílias beneficiárias, de forma integral e continuada, concentrando esforços no sentido de inserir os pequenos produtores familiares na cadeia produtiva da caprino-ovinocultura, buscando cada vez mais qualidade, competitividade e sustentabilidade socioeconômica e ambiental.
Antonio Carlos Magalhães, coordenador geral do projeto informou que os técnicos envolvidos no atendimento aos criadores, foram treinados na semana passada na Estação Experimental da Emparn, em Cruzeta, para realizar a tarefa de capacitar os produtores e organizações visando possibilitar a apropriação dos conhecimentos e das tecnologias.
Nesse sentido, o Projeto Aprisco pretende estabelecer o programa de práticas de manejo da vegetação, rebaixamento, raleamento e enriquecimento, gerando com isso um incremento considerável em sua produção pastoril, como forma de fomentar programas de atualização em técnicas de produção, organização e capacitação dos pequenos produtores.
O secretário Betinho Rosado ressaltou que as ações visam, também, valorizar os produtos advindos da caprino-ovinocultura, conferindo uma identidade territorial e cultural, a partir da realização de cursos de capacitação para os produtores da região, estimulando a utilização da mão de obra familiar.
A exemplo dos anos anteriores em que atuou nas regiões do Seridó, Central-Cabugi e Oeste, o Projeto Aprisco se voltará para difundir inovações tecnológicas que permitam o incremento de produção nos sistemas tradicionais.
O Secretário ressalta que, com ações como estas, será possível dar continuidade aos programas de sanidade animal, reprodução e melhoramento genético do rebanho do estado tendo como foco central os caprinovinocultores da Mesorregião Seridó, que se disponham a serem receptivos a inovações tecnológicas, com senso produtivo, e espírito empreendedor.
Antonio Carlos observou que esta etapa do projeto vai atuar em 25 municípios da região Seridó do estado que serão atendidos por uma equipe composta de 9 técnicos que está dividida em duas pessoas de nível superior e 7 de nível médio que irão voltar suas atenções para 250 propriedades de caprinos e/ou ovinos.
Além desse trabalho de extensão, os técnicos vai realizar 5.000 exames de parasitológicos de fezes; 250 testes sorológicos de CAEV; avaliar 20.000 animais através do método Famacha que vem a ser um diagnóstico de verminose.
Mas o projeto não está voltado apenas para a parte de sanidade animal uma vez que também fará um trabalho com intuito de produzir 40.000 mudas de espécies nativas e adaptadas com potencial forrageiro para alimentação.
Por outro lado, no sentido de melhorar o rebanho, o Projeto Aprisco tem verba destinada a compra de 20 reprodutores caprinos e ovinos para que os criadores possam realizar cobertura nas fêmeas do seu rebanho e ainda promover uma etapa de inseminação artificial, em caprinos, nos produtores assistidos.
O projeto será executado pela Secretaria da Agricultura, da Pecuária e da Pesca em parceria com as vinculadas, Emparn, Emater, Idiarn, prefeituras municipais, associações de criadores e sindicatos rurais.
Municípios Contemplados: Acari, Caicó, Campo Grande, Campo Redondo,  Carnaúbas do Dantas, Cerro Corá, Cruzeta, Currais Novos, Equador, Florânea,  Japi, Jardim de Piranhas, Jardim do Seridó, Jucurutu, Ouro Branco, Parelhas, Santa Cruz, Santana do Matos, Santana do Seridó, São João do Sabugí, São José do Seridó, São Tomé, Serra Negra do Norte, Timbauba dos Batistas e Triunfo Potiguar
F: AssCom Sape
OBS DO BLOG AVERDADE: SEMPRE SOLICITEI PARA AFONSO BEZERRA-RN O BODE MÓVEL POR UM PERIDO DE 30 DIAS 3 VEZES AO ANO. O CRIADOR TEM JOGADO DINHEIRO NO RALO, POIS, NÃO SABENDO IDENTIFICAR QUALTIPO DE VERME SEU ANIMAL ESTÁ ELE APLICA O VERMIFUGO SEM SABER QUEM VAI COMBATER. OU GOVERNO ATRAPALHADO ESTE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários serão avaliados antes de serem liberados