segunda-feira, 3 de abril de 2017

FALTARÁ MEL E ALIMENTOS


Faz-se imperioso que a humanidade se conscientize da necessidade de preservarmos a natureza. Tudo na natureza é perfeito, o ciclo da água, do gás carbônico, a cadeia alimentar e vários outros ciclos naturais, que permitem a sobrevivência dos seres vivos.

E o homem, qual sua atual participação em tudo isso? É muito simples: construções e mais construções, poluição desenfreada, produção de substâncias tóxicas
para aumentar a produção e etc., causando doenças e a destruição da natureza, mas claro que é para uma ótima causa e todos nós sabemos qual é: A CORRIDA DESENFREADA PARA O LUXO A TODO CUSTO.

Hoje a grande novidade é a entrada das abelhas para espécies em extinção. E vocês sabem caros leitores, o que o sumiço das pequenas polinizadoras podem nos causar? “Ah ficaremos sem mel” – É o que muitos responderão. E verdadeiramente nos faltará mel, mas não só o mel, pois as

abelhas funcionam como se fossem órgãos sexuais de plantas, ou seja, algumas plantas dependem delas para se reproduzirem.

A falta das abelhas acarreta uma “castração” nas plantas que necessitam da polinização para reprodução. E assim, elas deixam de existir também. Fato que afeta a existência de quase 40% dos alimentos consumidos por nós.

Ainda não se trata de uma extinção total, o apocalipse ainda não ocorreu, mas já se pensa em abelhas robôs. Todavia, atualmente existem 25 mil espécies de abelhas e para a lista, entraram sete, todas do Havaí: Hylaeus anthracinus, Hylaeus longiceps, Hylaeus assimulans, Hylaeus facilis, Hylaeus hilaris, Hylaeus kuakea, e Hylaeus mana – todas abelhas de cara amarela, parecidas com a abelhinha comum aqui do Brasil.

Mas o problema não se restringe ao Havaí, pois desde 2006, apicultores do mundo inteiro têm reclamado que as populações do inseto caíram. De 2012 para 2013, 31% das abelhas dos EUA tinham desaparecido; na Europa, naquele período, o número chegou a 53%, e no Brasil, a quase 30%.

Desta forma, precisamos nos conscientizar que a natureza é perfeita, mas se o homem não se importar em preserva-la vamos perdê-la e junto com ela irá a existência humana. Por isso, vamos sempre procurar preservar a natureza, replantando, evitando destruir o habitat dos seres vivos, reciclando e realizando todas as ações possíveis para reduzir o impacto ambiental causado pelo homem na natureza.

É um mundo inteiro que precisa se conscientizar, mas para começar só precisamos de VOCÊ!

Anna Carla Padilha de Araújo


OAB/RN 10.556

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários serão avaliados antes de serem liberados