quinta-feira, 23 de maio de 2013

Leilão de milho da Conab registra deságio de 21,5% no preço médio de venda

http://www.marceloabdon.com.br/
O leilão de compra de 28 mil toneladas de milho ensacado, realizado nesta quarta, dia 22, pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), para entrega nos polos de distribuição do Rio Grande do Norte (12 mil toneladas) e Paraíba (16 mil toneladas), conseguiu despertar o interesse dos cerealistas, que disputaram os 12 lotes ofertados. O leilão registrou um deságio de 21,5% no preço médio de venda do milho, incluindo o frete (623,97 reais/tonelada), em relação ao valor médio de abertura (795,20 reais/tonelada).
O leilão mostrou que o transporte rodoviário ainda é a melhor alternativa para remoção de milho da região Centro-Oeste até as cidades do Nordeste atingidas pela seca. A Conab tentou, sem sucesso, em três oportunidades, comprar as 28 mil toneladas a granel de milho para serem entregues por navio nos Portos de Natal (RN) e Cabelo (PB). As
tradings preferiram evitar o risco de multas pelo não cumprimento da operação a tempo por causa do prazo curto e das dificuldades nos portos brasileiros.
A remoção do milho para o Nordeste continua a desfiar o governo, tanto que, dificilmente, a presidente Dilma Rousseff conseguirá cumprir o compromisso assumido no início de abril com os governadores nordestinos, de entrega de 340 mil toneladas entre abril e maio para alimentar os rebanhos dos pequenos criadores prejudicados pela seca. A última projeção feita pela Conab mostrou que o balanço dos dois meses deve fechar com entrega efetiva no destino de 97.977 toneladas de milho – o total previsto é de 397.393 toneladas, entre compras e remoção de estoques próprios.
Para acelerar o processo de remoção do milho, o governo instituiu operações como a compra do cereal ensacado e desembarcado nos postos de distribuição do Nordeste, o que superou em parte as dificuldades enfrentadas em 2012 no desembarque de um produto a granel em armazéns que só trabalham com sacarias.
Outra a alternativa foi a compra do milho a granel para entrega por navios em portos nordestinos, onde o cereal será doado aos governos dos Estados para ensacamento, remoção e distribuição nos municípios do Semiárido. O lote vendido nesta quarta para entrega por caminhões no Rio Grande do Norte e na Paraíba fazia parte das 103 mil toneladas que a Conab queria comprar para entregar por navio. O primeiro lote arrematado de 20 mil toneladas começou a ser descarregado nesta quarta em Salvador.
O produto vendido pela Nidera Sementes foi importado da Argentina. A Nidera tem milho estocado em Luís Eduardo Magalhães (BA), a mil quilômetros do porto, mas a fila de caminhões para exportação de soja na capital baiana tornou inviável a entrega do cereal nacional. A Coamo, cooperativa de Campo Mourão (PR), entregará 30 mil toneladas em Fortaleza (CE) e a empresa Getúlio Viana, de Primavera do Leste (MT), 25 mil toneladas no Recife (PE).
Fonte: Agência Estado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários serão avaliados antes de serem liberados