sexta-feira, 14 de julho de 2017

Guamaré: blogs municipais destacam posição do MP mas esquecem que mães da comunidade utilizam crianças como escudo nas sessões do legislativo

 Irineu Cândido

A cidade de Guamaré está a muitos passos à frente do vizinho município de Macau, quando o assunto é política pública da infância e adolescência. O tema pautou uma audiência pública que comemorou os 27 anos do Estatuto da Criança e da Adolescência-ECA, promovida pelo Conselho Tutelar de Macau, nesta quinta-feira, 13, no Teatro Porto de Ama.
Assessoria do Prefeito Helio destaca fala do MP
” Em uma de suas interferências na reunião pública, que contou também com as presenças da juíza da Vara da Infância da Comarca de Macau, Larissa Almeida e do juiz da Infância da Comarca de Currais Novos, Marcus Vinícius Pereira Júnior, a Promotora de Justiça de
Macau, Isabel Menezes destacou o fato do município de Guamaré ter sido selecionado entre 386 cidades do Brasil para desenvolver um projeto apoiado pela Fundação Itaú Social.” disse os blogs oficiais dos assessores do prefeito Helio Miranda.
O detalhe
Após agredir vereadora mãe guamareense usa criança como escudo para não ser retirada plenária
Que talvez a promotora de Justiça de Macau, Isabel Menezes, não saiba que mães guamareenses estão levando crianças de colo para usarem como escudo  nas sessões da CM de Guamaré.
Sendo que o único propósito das mesmas estarem nesse habitat é de gritarem, agredirem vereadores quem não compactuam com a gestão de Helio Miranda. Fato que acontece corriqueiramente sem que os representantes da justiça tomem providências, já que o objetivo destas mães  é de simplesmente  ganharem o ‘respeito e prestigio’ do gestor nas ações sociais municipais.
Sobretudo
Quando Guamaré deve ser usado como referência pela representante do MP em Macau – como mostra matéria dos blogs municipais de guamare – acredito que em nenhum momento a justiça tomou ciência do que acontece no legislativo da comunidade, uma vez que as crianças estão sendo usadas pelas mães para tumultuarem sessão do legislativo guamareense.
Então
Se esta situação é valorização social em defesa do ECA na cidade de Guamaré, estamos fora da ordem do  Estatuto da Criança e da Adolescência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários serão avaliados antes de serem liberados